Rua Felipe Santiago, 191 - Russas, CE 62900-000
Atendimento humanizado integra cuidado e relacionamento com paciente

O atendimento humanizado praticado no Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), da rede pública do Governo do Ceará, está inserido em todas as áreas de atuação da unidade. Desde a emergência obstétrica, passando pelas clínicas médicas e cirúrgicas, e ainda enfermarias de alojamento conjunto e neonatologia. A presença da família, o cuidado qualificado, a escuta das necessidades dos pacientes, o apoio técnico e a atenção dada a cada um, bem como aos familiares, por meio dos encontros de formação e orientação, são elementos que favorecem o tratamento.

Um reflexo do cuidado especializado e humanizado pode observar nas palavras de dona Marilina Saraiva Sousa, quando fala sobre os dias de internação no HGCC. Ela passou pelo procedimento de histerectomia (remoção do útero). Durante esse tempo, dona Marilina foi acompanhada pela psicóloga Zita Gadelha.

“O atendimento humanizado é um modelo que integra tanto o cuidado com as questões fisiológicas quanto o relacionamento com a equipe, com as questões emocionais. Por isso a importância de unir os dois pilares, objetivando assim uma melhor facilidade de adesão ao tratamento”, explica.

Zita acrescenta que dessa maneira é possível proporcionar um ambiente com menos estresse para o paciente, desenvolvendo confiança na equipe e no tratamento. “A gente tenta tirar os elementos de ansiedade durante a estadia hospitalar para uma melhor reação e, em consequência, a alta hospitalar”, conclui.

Gratidão

“Sobre o atendimento, eu não tenho palavras. Tenho 52 anos, nunca fui internada, mas já acompanhei vários pacientes em outros hospitais e vi que o tratamento aqui é muito diferenciado. Nesse hospital é tudo de bom, nós temos médicos, diretores, temos a atenção de toda a equipe. Aqui, acima de tudo está o paciente. Em momento algum eles nos tratam mal, são pessoas educadas, só entram com um sorriso.” É dessa maneira que dona Marilina sai de alta do Hospital Geral Dr. César Cals.

Ao todo foram nove dias de internação. Tudo começou com uma infecção urinária. “Fiz uma ultrassonografia pélvica e foram detectados cistos no útero”, fala. Ela precisou passar pelo procedimento de histerectomia. Ao se preparar para receber alta, lembra como chegou ao HGCC. “Eu entrei neste hospital quase morta e agora estou viva”, diz com um sorriso no rosto.

A marca de Dona Marilina? O bom humor, a espontaneidade, a alegria de viver e o reconhecimento pelo tratamento recebido. “Estou até emocionada. Entrei aqui com a barriga enorme e agora estou saindo igual uma menina”, comemora.

Galeria de Fotos